Comunicação síncrona e assíncrona de Nota Fiscal: saiba tudo

Você sabe a diferença entre envio de nota síncrona e assíncrona? Respondemos suas principais dúvidas nesse artigo, confira!


Há várias especificidades para a emissão de documentos fiscais eletrônicos por softwares. Entender as formas de envio de cada tipo de documento é muito importante para evitar problemas relacionados à cada modalidade. 

As implicações podem afetar a continuidade de determinados serviços ou atrapalhar o fluxo de informações, seja por lentidão de uma das partes ou de muito tempo investido na resolução de burocracias. 

Neste post, vamos explicar o que significa comunicação síncrona e assíncrona e como ela está presente no envio de documentos fiscais eletrônicos. Também vamos ensinar como enviar notas pelos dois formatos e apresentar uma solução rápida e eficiente para otimizar seu tempo com esse recurso.

Boa leitura!

Comunicação síncrona e assíncrona

Síncrona e assíncrona são, em resumo, formas de comunicação de transmissão. A primeira refere-se a uma comunicação direta, em que as informações ou mensagens entre emissor e receptor são transmitidas em tempo real. 

Quando o contrário acontece, ou seja, em contextos em que há um tempo ou intervalo entre a comunicação, o nome dado é comunicação assíncrona. 

Ambas apresentam vantagens e desvantagens. Se estamos lidando com um cliente em potencial, por exemplo, ao utilizar a comunicação síncrona a atenção do usuário pode estar dividida com outras atividades, porém, as decisões de compra podem ser tomadas com mais agilidade. 

Se a forma de transmissão de mensagens é assíncrona, há mais tempo para elaborar propostas e apresentações. Mas, há ressalvas quando há ausência de feedback, que pode nunca chegar para a equipe comercial. 

Comunicação com a SEFAZ

O conceito de comunicação síncrona e assíncrona também está presente na emissão de documentos fiscais eletrônicos. A Secretaria da Fazenda (SEFAZ) recebe notas eletrônicas por esses dois formatos. 

Normalmente, a NFe costuma ser enviada de forma assíncrona e a NFCe síncrona. Já a NFSe varia em cada município brasileiro, portanto cada empresa também precisa adaptar seu formato de envio a legislação local. 

É comum que os sistemas dos órgãos administrativos forneçam a possibilidade de utilizar os dois tipos de envio. Mas, em algumas cidades, somente uma das opções é ofertada para uso. 

Envio de nota de forma síncrona (como funciona?)

Na modalidade de envio síncrona, a SEFAZ retorna com a situação da nota. Você receberá um comunicado com status, informando se a nota foi aprovada ou recusada pelo órgão. 

👉 Dica da Tecnospeed: recomendamos o envio síncrono seja implementado, por ser o método que a própria SEFAZ recomenda ser utilizado.

Envio de nota de forma assíncrona (como funciona?)

No envio assíncrono, a SEFAZ retornará informando um número de recibo, mas não com o status. Posteriormente, esse número é utilizado para ser consulta. Na prática, isso significa que você não terá a informação de status imediatamente, mas em outro momento.

Mas, qual é a melhor opção?

Agora que você já entendeu o que significa as diferenças entre envio síncrono e assíncrono, vamos aos prós e contras de cada modalidade de envio. 

Assíncrona: prós e contras

O envio assíncrono é recomendado para empresas que emitem as notas em um só lote. 

A desvantagem está em não ser o formato recomendado pela SEFAZ, aumentando as chances de ter que lidar com falhas e, consequentemente, gastar mais tempo para resolver a situação. 

Síncrona: prós e contras

Uma das vantagens de utilizar o envio síncrono é que é a forma recomendada pela SEFAZ. Sendo assim, quando o envio é feito de outra forma – assíncrono – o sistema pode apresentar falhas ou instabilidade técnica.  

Outro benefício é a viabilidade de tomar uma decisão imediata para resolver o problema, já que você será comunicado durante a operação. 

Como enviar uma nota?

Para enviar uma nota à SEFAZ, há duas formas de comunicação: o envio síncrono e o envio assíncrono.

Antes de enviar, é importante verificar a propriedade Ambiente. Esta propriedade define se o envio será em homologação ou em produção.

Enviando uma nota de forma síncrona

Para enviar uma nota de forma síncrona, é necessário utilizar o método EnviarNFSincrono. No envio síncrono, a SEFAZ retorna a comunicação com um XML indicando se a nota foi autorizada (cStat igual a 100) ou não. 

Nos casos negativos, a SEFAZ explica qual foi o motivo da rejeição. Em seguida, você deve corrigir a falha e tentar novamente, até ser aprovada. 

Enviando uma nota de forma assíncrona

Para enviar uma nota de forma assíncrona, é necessário utilizar o método EnviarNF. No envio assíncrono, a SEFAZ retorna com um XML indicando um número de recibo. Esse número recebido deve ser capturado. Após isso, faça a consulta utilizando o método ConsultarRecibo.

O retorno desta consulta mostrará se a nota foi autorizada (cStat igual a 100) ou qual foi o motivo da rejeição.

Dica extra sobre documentos fiscais

Entender as modalidades de comunicação entre software de emissão de notas fiscais e a Secretaria da Fazenda de cada município auxilia na prestação de serviços. Afinal, cada cidade opera de forma diferente. 

Porém, muitas vezes, o assunto é complexo e demanda muita atenção. Mas, esse não precisa ser o foco dos desenvolvedores do seu software! 

Terceirizar o módulo fiscal vai garantir mais tempo para o seu time de profissionais focar no diferencial do seu produto, mas sem deixar de oferecer esse serviço essencial, que descomplica uma prática obrigatória e burocrática. 

A Tecnospeed oferece diferentes soluções em documentos fiscais eletrônicos, como as NF, NFC e NFS. Clique no botão e confira! 

Soluções TecnoSpeed

Formado em Comunicação em Multimeios. Analista de Marketing da TecnoSpeed, focado em produção de conteúdos para mídias digitais.

Artigos relacionados