Digitalização de diplomas: a inovação dos certificados digitais chegando à academia

Regulamentada pelo MEC, a digitalização de diplomas traz economia e agilidade para esse processo. Entenda todos os detalhes neste post!


No início deste mês de dezembro, o Ministério da Educação (MEC) anunciou novas diretrizes para a implementação de diplomas digitais em todas as Instituições de Ensino Superior públicas e privadas pertencentes ao Sistema Federal de Ensino.

Essa medida representa um grande avanço no segmento educacional, afinal, são mais de 200 anos de tradição dos diplomas impressos e assinados. No entanto, para além da cultura de entrega de diplomas e exibição deles nas paredes, existe uma série de vantagens na adesão do formato digital que fazem essa mudança ser interessante e até mesmo necessária.

Neste post, nós vamos te explicar quais são essas vantagens e te ajudar a entender como esse processo vai funcionar, que demandas ele cria e que oportunidades ele representa. Continue a leitura! 

Por que digitalizar diplomas?

A emissão, registro e armazenamento digital de diplomas de graduação garante mais agilidade e praticidade para este processo constante das instituições e ainda garante a segurança e a desburocratização para todas as partes envolvidas.

Conforme a Portaria MEC 554/19, os diplomas digitais abrem as possibilidades para a validação a qualquer tempo; a interoperabilidade entre sistemas; a atualização tecnológica da segurança; e de múltiplas assinaturas em um mesmo documento.

Ou seja, é uma forma de usar a tecnologia como aliada para aumentar a eficiência de um processo administrativo e beneficiar tanto as instituições como seus colaboradores e discentes.

Quando começou a implementação?

Apesar do anúncio recente de novas diretrizes e prazos para a digitalização de diplomas, esse não é um assunto tão novo. O Decreto 9.235/17 e as Portarias 330/18, 315/18 e 1.095/18 já traziam normas sobre a transição de acervo acadêmico e emissão de diploma em meio digital.

A implementação oficial dessa medida obrigatória, porém, foi anunciada em 11 de março de 2019 por meio da Portaria 554/19 e a previsão é de que até 2022 todas as IES federais tenham se adaptado e adotado o formato digital para os diplomas e seu acervo acadêmico.

Desde então, essa transição vem sendo feita pelas instituições e acompanhada pelo MEC, a fim de fazer cumprir o planejamento divulgado e auxiliar as universidades neste processo.

Principais motivos da Digitalização de diplomas?

Por que apostar na digitalizacão dos diplomas de problemas? Veja tudo aqui.

Entre as vantagens da digitalização dos diplomas estão a economia com materiais impressões e a rapidez na emissão. | Foto: Pixabay

Nós já falamos que a digitalização vem acompanhada de diversas vantagens, mas agora vamos entrar em mais detalhes no porquê essa inovação é interessante para instituições, estudantes e até mesmo para a sociedade:

Redução de papéis

Imagine a quantidade de alunos que estão matriculados em uma universidade em todo o país. Apesar de não ser uma realidade para todos os brasileiros, todos os anos são milhões de estudantes ingressantes em cursos de graduação segundo os dados do Censo da Educação Superior 2019, divulgado pelo MEC em parceria com o INEP e este número cresce a cada ano.

Ao multiplicarmos esses números pela quantidade de papel necessária para a emissão de diplomas de todos os graduados, mesmo tendo em vista que nem todos os matriculados concluem o curso, é possível entender como a digitalização de diplomas representa uma redução drástica no uso de papéis.

Essa consequência é positiva em diversos níveis, da sustentabilidade à economia e facilidade de manejo dessa documentação, que precisa ser emitida, armazenada e transportada, tanto por parte de instituição como do discente após o recebimento de seu diploma.

Economia múltipla

Falando especificamente sobre a redução de recursos e custos, a emissão em formato digital dos diplomas exige a aquisição de outras ferramentas para sua implementação, como os certificados digitais e plataformas de armazenamento em nuvem.

Porém, o investimento necessário é significativamente menor se formos considerar os gastos em recursos humanos, materiais e de logística demandados pelo formato analógico. De acordo com o MEC, a digitalização representa uma economia de quase R$ 50 milhões por ano considerando apenas as universidades federais.

Desburocratização e agilidade

A desmaterialização de documentos descomplica o processo de emissão para as duas partes envolvidas. O MEC estima que o tempo médio para a disponibilização dos diplomas deverá se limitar a 15 dias.

No caso dos diplomas, a instituição emissora passará a realizar esse processo de forma muito mais rápida, segura e eficiente, e os estudantes poderão solicitar e receber seus diplomas sem burocracia ou ter que aguardar um longo prazo até a cerimônia de entrega ou a disponibilização da documentação para retirada na instituição.

Validade jurídica e segurança

Para finalizar a lista de vantagens da digitalização de diplomas, um dos motivos mais relevantes é o combate às fraudes e falsificações. A autenticação dos diplomas digitais será feita por meio de certificados digitais, que são uma tecnologia criptográfica que vem crescendo a cada ano e revolucionando diversos segmentos, como o jurídico e da saúde.

Essa ferramenta permite a autenticação de documentos eletrônicos, por meio de assinaturas digitais e carimbos de tempo rastreáveis, garantindo a veracidade e validade jurídica de, por exemplo, diplomas de graduação. Cada certificação apresenta um par de chaves exclusivas, demarcando os detalhes da origem da documentação e trazendo segurança para a instituição e seus alunos.

As instituições de ensino estão preparadas?

Visto que os certificados digitais são parte essencial da implementação dos diplomas digitais, a questão que surge é: será que as instituições estão preparadas?

É nesse sentido que essa medida representa uma oportunidade para quem já trabalha e entende sobre certificados digitais ou está a um passo de fornecer este tipo de produto para as universidades.

Nós estamos falando com você, desenvolvedor e administrador de software house! Imagine como seria interessante para o seu negócio passar a vender as suas soluções junto a certificação digital, facilitando a vida do seu cliente e valorizando o seu produto?

Parceria Certificado da TecnoSpeed

Se você não quer perder essa oportunidade mas não sabe por onde começar, você precisa conhecer a Parceria Certificado da TecnoSpeed.

Por meio dela você pode revender certificados digitais com o melhor custo-benefício do mercado e sem um alto investimento ou dor de cabeça, contando com todo o suporte da nossa equipe que entende o universo das certificações e estará sempre pronta para te ajudar nessa nova empreitada da sua software house! Vamos juntos?

Proposta Certificado Digital TecnoSpeed

Formado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, com Especialização em Marketing. Atua na TecnoSpeed como Coordenador de Marketing.

Artigos relacionados