NF-e Complementar: como e quando utilizar no CFOP 5.111

Você sabe o que é uma nota fiscal complementar, e como aplicar o CFOP 5.111 nela? Separamos um material especial para você, confira:


As operações fiscais contemplam diferentes tipos de códigos e é muito importante conhecê-los para utilizá-los da forma correta ao emitir documentos fiscais eletrônicos. Na área de tributos e impostos estar bem informado e atualizado é sinônimo de ganho de tempo. 

Neste artigo vamos explicar como e quando utilizar a Nota Fiscal Complementar, que no nosso exemplo estaremos utilizando NF-e com  CFOP 5.111, um código fiscal que refere-se à saídas ou prestações de serviços dentro do mesmo estado.

tecnospeed academy

CFOP 5.111: o que é e quando utilizar?

Inicialmente, é importante recordar que o Código Fiscal de Operações e Prestações – CFOP é composto por 4 dígitos, sendo que o primeiro deles define a natureza da operação. 

O dígito 5 no início do código indica que a operação ou prestação contempla movimentações dentro do mesmo estado, ou seja, elas são intermunicipais e podem ser de movimentação, venda, saída, demonstração, transferência de mercadoria e também de remessa para conserto.  

Os outros dígitos especificam a operação. No caso, o CFOP 5.111 é utilizado para indicar as vendas efetivas de produtos industrializados no estabelecimento remetidos anteriormente a título de consignação industrial. Esse código pode ser utilizado na operação fiscal quando alguma informação importante deixou de ser destacada na Nota Fiscal eletrônica (NF-e), sendo necessário complementá-la em algum campo. 

Em resumo, o CFOP 5.111 pode ser utilizado:

  • Somente para casos de operações intermunicipais;
  • Em NF-e de produtos produzidos pela própria indústria;
  • Para complementar uma informação na NF-e, como reajuste de preço, de valor menor informado, entre outros.

Aqui no nosso blog nós já abordamos como utilizar vários tipos diferentes de Código Fiscal de Operações e Prestações – CFOP. Veja os conteúdos publicados sobre esse tema

veja tudo sobre o cfop 5.111

Existem diversos CFOP, por isso, é necessário estar atento a esse Código Fiscal.

CFOP 5.111: como emitir?

Quando alguma informação importante deixou de ser destacada na Nota Fiscal eletrônica (NF-e) que se enquadra ao código operacional 5111 (descrito acima), sendo necessário complementá-la, é preciso fazer uma referência a chave de acesso da NF-e original. 

A nota complementar possui uma tag (refNFe). Ela indica que, embora você esteja emitindo uma outra nota, a operação foi realizada para referenciar a outra nota, vinculando as operações. 

É comum que os emitentes só notem que itens deixaram de ser destacados dias depois, mas, não se preocupe, porque a nota complementar não precisa ser emitida no mesmo dia. A necessidade de correção costuma ser percebida em momentos de apuração de impostos, cobranças, etc, e a nota fiscal complementar é utilizada para resolver a questão. 

CFOP 5111: exemplo de uso

Para exemplificar na prática uma situação de uso da CFOP 5.111 vamos simular uma operação em que a NF-e foi emitida com elementos equivocados, como o valor unitário da mercadoria inferior ao informado e o ICMS. 

Lembrando que, para utilizar o CFOP 5111, a indústria deve ser a fabricante do próprio produto, não se tratando de revenda ou outro modelo. 

Na nota fiscal complementar vamos indicar as alterações necessárias. Na descrição do produto é importante escrever NF-e complementar e fazer referência a tag da nota fiscal anterior, indicando os campos que serão complementados. No caso deste exemplo, é o valor da mercadoria e o destaque ao ICMS, que foram emitidos com outros números.

Esses indicadores aparecem na apresentação do DANFE, mas na versão em XML precisam de outros complementos. 

A operação só funciona para complementar ou ajustar o valor. Não é possível lançar um valor de subtração, por exemplo. Lembrando que a carta de correção serve para vários tipos de ajustes, mas, nesses casos, não pode ser aplicada, portanto, a nota complementar é a opção viável. 

No nosso canal no YouTube disponibilizamos um vídeo em que o Augusto Santos (consultor tributário) e Jonathan Santos (diretor de mercado), ambos da Tecnospeed, mostram como utilizar, na prática, a CFOP 5111:

Aprenda com quem entende do assunto

Queremos compartilhar nosso conhecimento sobre Documentos Fiscais Eletrônicos com quem precisa entender sobre o assunto para aplicá-lo nos produtos e serviços da software house. 

Quer entender as complexas regras fiscais e tributárias e vigentes no Brasil? Aprenda com a TecnoSpeed Academy! Acesse a página do nosso curso sobre tributação voltado especialmente para programadores! 

Seja especialista em tributação

Formado em Comunicação em Multimeios. Analista de Marketing da TecnoSpeed, focado em produção de conteúdos para mídias digitais.

Artigos relacionados