Carta de Correção eletrônica (CC-e) da NF-e: tudo que você precisa saber

Emitiu uma NFe com erros? Confira este guia completo sobre a Carta de Correção Eletrônica: o que é? Como emitir? Descubra aqui!


Regulamentada em julho de 2011, a Carta de Correção Eletrônica (CC-e) é a substituta digital da Carta de Correção tradicional, cuja função é corrigir erros em Notas Fiscais eletrônicas (NF-e) que já foram emitidas.

Trata-se de um recurso que visa evitar o cancelamento desnecessário de notas ou a emissão de notas fiscais de ajuste.

Neste artigo, vamos abordar as regras de utilização de como fazer a carta de correção, o que pode e o que não pode ser alterado e quais os prazos para emissão da Carta de Correção Eletrônica. E também apresentaremos métodos alternativos para solucionar um documento com informações incorretas.

NF-e

O que é a Carta de Correção Eletrônica?

A Carta de Correção Eletrônica (CC-e) é um recurso que permite que o emissor da Nota Fiscal eletrônica faça a correção de alguns erros em um documento que já foi autorizado pela Secretaria da Fazenda (SEFAZ).

Assim como a própria NF-e, a CC-e também é um arquivo XML, e também deve ser assinada por meio de certificado digital. A principal diferença é que, como o nome sugere, trata-se de uma carta mesmo, redigida em texto livre, com o número máximo de 1000 caracteres. Na redação, o emitente deverá indicar, de forma clara e objetiva, quais informações deseja corrigir na NF-e que já foi gerada.

A carta fornece informações que corrigem os erros do documento gerado anteriormente e o novo arquivo é anexado a NF-e que já foi emitida e autorizada.

Mas, atenção: nem todos os problemas da NF-e podem ser corrigidos com a CC-e! Há limitações e uma lista de práticas que são permitidas e das que não são. Vamos abordar essas especificidades mais à frente. 

Qual é o objetivo?

Sanar erros em campos específicos da NF-e, para corrigir informações preenchidas de forma equivocada, mas sem cancelar o documento e/ou refazê-lo por completo.

Como preencher a Carta de Correção Eletrônica?

  • Verifique se a alteração necessária é permitida pelas regras do serviço;
  • Confira se está dentro do prazo para emitir a CC-e;
  • Faça um texto objetivo e de fácil compreensão;
  • Utilize a expressão “Altere-se elemento …. por….”;
  • Escreva uma frase com, no mínimo, 15 caracteres;
  • Não ultrapasse 1000 caracteres;  
  • Não utilize acentos nas palavras;
  • Não utilize símbolos especiais.

Como ela é autorizada?

carta de correção no computador

Na validação da Carta de Correção, o XML da NF-e não será alterado. | Foto: Pexels

A Carta de Correção Eletrônica não passará por validações de conteúdo. Somente passará por uma validação de esquema, referente à quantidade mínima e máxima de caracteres. Em seguida, o documento será anexado à NF-e.

Se essa NF-e for consultada e visualizada posteriormente por qualquer motivo, pelos agentes envolvidas na operação, como um auditor fiscal, pelo próprio emitente, pelo destinatário ou qualquer outro terceiro informado na tag utXML a CC-e também será visualizada junto. 

É importante notar que o XML da NF-e não será alterado. A CC-e será como um arquivo anexo à NF-e, contendo observações sobre o conteúdo do documento. Ou seja, o XML da NF-e continuará com os dados incorretos.

Após o processamento da solicitação, o resultado poderá ser “evento registrado e vinculado a NF-e” ou “evento registrado, mas não vinculado a NF-e”. No primeiro caso, a operação é armazenada no repositório do Sistema de Registro de Eventos. No segundo caso, há inúmeros motivos de não atendimento da solicitação, que pode ser a verificados na Nota Técnica 2011/003. 

Caso a CC-e seja rejeitada, o sistema retorna com o código referente ao motivo para que o emissor verifique o problema. 

O que pode ser corrigido?

É possível corrigir as seguintes informações da Nota Fiscal Eletrônica através da Carta de Correção Eletrônica:

  • Código Fiscal da Operação (CFOP) – desde que não mude a natureza dos impostos;
  • Código de Situação Tributária – desde que não mude valores fiscais;
  • Peso, volume e acondicionamento;
  • Descrição da mercadoria – desde que não altere a alíquota do imposto;
  • Dados do transportador;
  • Razão Social do destinatário – desde que não mude totalmente;
  • Endereço do destinatário – desde que não mude totalmente;
  • Dados adicionais – corrigir informações mais específicas, como erro na fundamentação legal da operação, item da legislação que indique benefício fiscal à saída de produtos, entre outras possibilidades.

O que NÃO pode ser corrigido?

Há variáveis que não podem ser corrigidas através da CC-e ou outros recursos. 

Nestes casos, geralmente, o cancelamento da nota e a criação de uma nova é a opção ideal. Para a NF-e, modelo 55, o recurso cancelar pode ser utilizado em até 24 horas após a autorização da SEFAZ.

Veja quais ações não são contempladas pelo serviço:

  • Variáveis relacionadas ao valor do imposto, como:
  • Valor total da NF-e ou Valor do Imposto*;
  • Valores fiscais;
  • Base de cálculo de impostos;
  • Alíquota; 
  • Diferença de preço;
  • Quantidade;
  • Valor da operação; 
  • Informações que alterem a operação (exemplo: descrição de mercadorias que alterem a alíquota).

*Com essa restrição, não é possível realizar qualquer alteração que consequentemente altere esse valor, o que inclui boa parte da nota.

  • Correção de dados cadastrais, como:
  • Mudança completa do nome do emitente ou destinatário;
  • Mudança completa do endereço do destinatário;
  • Datas: 
  • Data da saída da mercadoria.

Como preencher e emitir uma carta de correção

Com o módulo fiscal da TecnoSpeed é possível emitir a Carta de Correção | Foto: Pexels

Agora que você já entendeu quais são as possibilidades e limitações do recurso, vamos exemplificar o passo a passo de como fazer uma carta de correção eletrônica utilizando o módulo fiscal da Tecnospeed. 

Para enviar a carta de correção você utiliza o método EnviarCCe(aNotaID, aTextoCorrecao, aDataHoraEvento, aOrgao, aIdLote, aSequenciaEvento), que recebe como parâmetro a chave de identificação da NF-e, o texto com a descrição da correção, a data e a hora da emissão do evento, o código do estado do emissor da NF-e, o ID do lote da nota e o número do evento e o fuso horário do local do envio.

Automaticamente, a operação gera um XML de CC-e na pasta de xmlDestinatario (41200608187168000160555000553030131005554503-cce.xml) e envia para a SEFAZ.

Esse método retorna um XML contendo a mensagem do resultado da solicitação.

Lembre-se que o texto de correção deve seguir as boas práticas que recomendamos no início deste artigo, para evitar rejeição.

Para imprimir a carta de correção eletrônica você deve utilizar o método ImprimirCCe(aXmlCCe), em que recebe como parâmetro um XML de uma CC-e autorizada, localizado dentro da pasta xmlDestinatário. Esse método não possui retorno, somente imprime a Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (DANFE) de correção.

O emissor deve manter o arquivo digital da Carta de Correção com a informação de Registro do Evento da SEFAZ. 

Exemplo de carta de correção eletrônica

Altera-se a informação de peso de 30kg para 32kg.

Informa correção de placa AMF2021 para AMF2020.

Dúvidas frequentes

1 – Qual o prazo para emissão da Carta de Correção Eletrônica?

Uma CC-e pode ser feita e emitida em até 30 dias corridos, contados a partir da autorização da NF-e a qual ela visa corrigir informações. 

2 – Posso emitir mais de uma Carta de Correção Eletrônica para uma única NF-e?

Sim. Mais de uma CC-e pode ser anexada a uma mesma NF-e autorizada, desde que respeite o prazo para esta operação.

3 – Quais são as alternativas à Carta de Correção Eletrônica?

A Carta de Correção Eletrônica só permite correções de pouco impacto na nota fiscal. Se os erros da sua NF-e forem de natureza mais grave, como impostos, valores, quantidade ou dados cadastrais totalmente incorretos, o procedimento ideal é o cancelamento da NF-e e a emissão de um documento fiscal totalmente novo.

No entanto, o prazo para cancelamento da NF-e é muito menor do que o prazo para emissão de uma CCe, variando de estado para estado, geralmente entre 24 horas e 7 dias.

Além disso, caso o transporte já tenha sido iniciado, a NF-e já estará sob posse do transportador e referida em um CT-e. Sendo assim, não será possível cancelá-la e emitir uma nova NF-e para essa operação. Neste caso, a Carta de Correção é a única alternativa.

Conheça a solução NFe

Facilite a implementação da Carta de Correção Eletrônica no seu software!

Com as constantes atualizações fiscais, é trabalhoso manter seu software sempre atualizado com as normas e legislação vigente. Nós podemos ajudá-lo a poupar tempo com o desenvolvimento de recursos para documentos fiscais eletrônicos, com nossas DLLs, APIs, Consultoria Técnica e Consultoria Tributária.

Com a NF-e TecnoSpeed, você já possui todas as rotinas da CC-e implementadas. Esse módulo fiscal faz toda a diferença para o seu cliente, que vê ainda mais vantagens em usar o seu software. E você ainda ganha tempo para se dedicar ao que realmente importa no seu software! 

 

Formado em Marketing. Redator do Grupo TecnoSpeed. Escreve artigos e conteúdos para TecnoSpeed DF-e, Certificados Digitais e WiFire.

Artigos relacionados