O que é OKR (Objective Key Results)?

Gigantes como a Google, Spotify e Linkedin utilizam a metodologia OKR, mas ela é ideal para qualquer tamanho de empresa. Aprenda tudo sobre OKR!


Você gostaria de saber como as principais empresas de tecnologia, como Google, Spotify, Nubank, LinkedIn desenvolvem seu planejamento estratégico, e fazem ele de fato acontecer?

Se você tem essa curiosidade, este artigo é para você! Vamos desvendar os famosos ORKs: definição, origem, vantagens e características. Vamos lá?

Prefere assistir? Confira nosso vídeo sobre OKR apresentado pela gerente de processos Beatrice Cardoso:

O que é OKR?

OKR ou Objectives Key Results é uma metodologia de planejamento estratégico e definição de metas criada em 1970 por John Doerr, na época, executivo da Intel. Por décadas, a metodologia foi utilizado exclusivamente pela Intel.

Em 1999, Doerr saiu da Intel e entrou para a então jovem Google, com apenas 40 funcionários. Com grandes perspectivas de expansão, John Doerr aplicou sua metodologia de OKRs

No final da década de 2000, com o case de sucesso absoluto e sem precedentes da Google, o framework OKR se popularizou rapidamente entre empresas de tecnologia e, posteriormente, entre as empresas de outros segmentos.

Hoje, com uma equipe de mais de 60.000 colaboradores, a Google continua utilizando a metodologia de OKR. Por que será?

Vantagens

Por sua estrutura simples e qualitativa, a metodologia OKR torna o trabalho mais ágil, as equipes mais autônomas e o resultado gradativo durante todo o período de execução, alem de permitir alinhamento com os clientes e garantir uma entrega de maior qualidade e sucesso em relação aos objetivos inicialmente propostos.

  • Transparência no compartilhamento das metas com todos da empresa.
  • Simplicidade na hora de construir e acompanhar.
  • Metas bilaterais passam a ser construídas/validadas com todos os interessados, só os diretores e gerentes
  • Resultados diretos: Autonomia, Foco, Colaboração

Uma ferramenta fundamentada nesses pilares garante resultados diretos na equipe: todos estão trabalham para os mesmos objetivos, focados em atingir a mesma meta.

Além de aumentar as chances de sucesso do planejamento, isso também gera autonomia dos colaboradores, que passam a tomar decisões baseadas nos objetivos e metas definidas em conjunto.

Compartilhando o planejamento entre os membros da organização, a colaboração é ressaltada já que mesmo membros de outras áreas podem dar sugestões e desenvolver ações em conjunto.

Outras empresas, principalmente do setor de tecnologia, aderiram a ferramenta pela adaptabilidade em empresas de qualquer porte e segmento,

OKR x Agile

OKR é uma ferramenta de gestão de metas ágil. Pois é, ágil não é um conceito exclusivo do desenvolvimento de software!

O modelo agile surgiu em 2001 com a criação do Manifesto Ágil, que revolucionou a nossa forma de pensar e gerenciar pequenas equipes de desenvolvimento de software.

Com o tempo, as metodologias ágeis ganharam espaço em empresas de diferentes portes e segmentos.

Conceitos do OKR

Existem 3 principais conceitos ou elementos da metodologia OKR: os Objectives, Key Results e Key Actions. Confira o significado de cada uma delas

Objectives

O framework é bastante simples, e por definição, trabalha com o objetivos que devem ser poucos (entre 2 e 4), simples e inspiradores.

A quantidade de objetivos faz com que o planejamento não se perca, seja de fácil comunicação e garante foco. Já a simplicidade na escrita faz com que todos possam colaborar. A dica aqui é evitar termos e siglas.

O objetivo é qualitativo, é o que vai engajar todos em uma mesma direção, e por isso ele deve ser inspirador para as pessoas.

Exemplo:

  • Encantar nossos clientes e transformá-los em fãs da marca
  • Tornar-se referência nacional em (segmento da empresa)

Key Results

Cada um desses objetivos tem uma série de metas associadas, chamadas de resultados-chave (key results). Devem ser entre 2 e 5 metas por objetivo, de forma que os resultados sejam balanceados e acompanhados em diferentes perspectivas.

Aqui, há uma mudança cultural que a empresa precisa incorporar em relação às outras ferramentas: se a empresa atingir 100% das metas, ela não fez um planejamento estratégico ousado o suficiente.

Já que não queremos 100% das metas atingidas, o valor aceito como “sucesso” em se tratando de OKRs é cumprir de 70% a 80% das metas – e explicar isso aos colaboradores nem sempre é fácil.

Key Actions

As ações-chaves (Key Actions) são utilizadas em algumas organizações, e o seu uso é opcional. Servem como apoio para que as pessoas já tem em mente algumas estratégias para chegar na meta proposta.

De forma geral, em períodos de transição de metodologias (por exemplo, do BSC para OKR) as empresas podem optar por utilizar as ações-chave como forma de orientação aos planos de ação que poderão ser executados.

Em equipes mais maduras, já acostumadas com os OKRs, as ações-chave são dispensáveis.

Acompanhamento

Assim como nas metodologias ágeis de gerenciamento de projetos, nos OKRs o acompanhamento também é periódico para garantir que a execução das ações está gerando os resultados esperados.

Semelhante ao SCRUM, o OKR prevê uma cerimônia chamada de check-in semanal. É o momento em que todas as pessoas envolvidas no planejamento de determinada área compartilham as ações feitas, as que estão com problemas ou pendentes e quais as ações serão executadas na próxima semana.

Além do check-in semanal que normalmente acontece a cada segunda-feira, é necessário definir uma cadência para o acompanhamento dos resultados.

A definição da cadência de acompanhamento está diretamente relacionada com o período para o qual o planejamento foi construído – anual, semestral, bimestral, mensal.

Caso o planejamento seja anual, é preciso definir acompanhamentos ao longo do ano para garantir que os resultados estejam sendo atingidos ou não, e em caso negativo, que haja tempo hábil para implementar novas estratégias.

As metas não devem ser modificadas constantemente, caso o resultado esperado seja muito diferente do resultado apresentado, deve-se mudar as estratégias para o atingimento.

Moonshots

Durante a definição das metas, é possível aplicar o conceito dos moonshots, isto é, atirar na lua. Os “tiros na lua” são metas realmente ousadas, com objetivo de tirar toda a equipe da zona de conforto.  Esta prática é característica da ferramenta OKR.

Para que não se configurem em uma série de metas impossíveis de serem alcançadas, elas precisam ser baseadas em resultados históricos, benchmarkings e então adicionados em torno de 30% de acréscimo no valor.

Lembre-se: quem quer resultados surpreendentes, precisa pensar fora da caixa!

Muito sucesso para sua software house!

O Programa Software House de Sucesso tem um módulo específico sobre Estratégia Corporativa, além de muitos outros conteúdos essenciais para a sua software house.

Conheça a primeira formação criada especialmente para gestores e empresários do ramo de software! Obtenha experiências de alto nível e faça sua empresa crescer acima da média do mercado!

Formado em Marketing. Redator do Grupo TecnoSpeed. Escreve artigos e conteúdos para TecnoSpeed DF-e, Certificados Digitais e WiFire.

Artigos relacionados