O que é Squad e como ele aumenta a produtividade da sua Software House

Escolhido pela gigante Spotify, o modelo de Squad tem se mostrado eficiente em muitas empresas. Será que ele se encaixa na sua empresa? Vamos descobrir!


Desde o surgimento das empresas de tecnologia da informação, existe uma busca pelo modelo organizacional mais eficiente para o segmento, que aproveite o tempo e as habilidades dos colaboradores e equipes ao máximo. Ao longo dos anos, centenas de formatos foram propostos por profissionais de administração e de tecnologia, tentando sempre conciliar os interesses de ambas as áreas.

Entre essas centenas de paradigmas, um deles tem recebido visibilidade por ser o modelo adotado por gigantes como a Spotify: os Times Cross-funcionais, ou simplesmente Squads.

Neste artigo, você descobrira o que é Squad, bem como suas vantagens e desvantagens em relação aos modelos tradicionais, e os impactos dessa migração nas empresas.

O que é Squad?

No contexto corporativo, Squad é um modelo organizacional que consiste em dividir a equipe da empresa em pequenos times multidisciplinares. Cada Squad fica responsável por todos os aspectos de um determinado projeto, produto ou feature, e tem autonomia para tomar decisões e definir prioridades, contanto que estejam alinhados aos objetivos macro da empresa.

Do inglês, Squad é, literalmente, esquadrão. O termo faz alusão ao conceito militar de esquadrão, que consiste em um pequeno grupo de soldados com diferentes especialidades: um comandante, um médico, um atirador de elite, um engenheiro, entre outros. Como uma versão reduzida de um exército completo, um esquadrão deve ser autônomo e capaz de executar missões de maneira independente.

Voltando ao contexto empresarial: Pela própria natureza das metodologias de desenvolvimento de software, alguns membros dos Squads terão responsabilidade de coordenar o trabalho do time, além de se responsabilizar pelo desempenho da equipe diante da direção da empresa. Estes são os gerentes de produto (O termo exato varia de acordo com a metodologia de desenvolvimento. No Scrum, utiliza-se “Product Owner”) que devem acompanhar todo o trajeto do seu produto, desde a concepção do projeto até as vendas e o atendimento aos clientes.

Exemplo de Squad

Apesar do título e das responsabilidades, o Gerente de Produto não está em uma hierarquia diferente do restante da sua equipe, sendo simplesmente um dos papéis, tão importante quanto os desenvolvedores, consultores técnicos, designers, testers, etc.

Quais são as vantagens e desvantagens dos Squads?

Implantar um novo modelo causa impacto em toda a cultura organizacional, e por isso, é uma decisão complexa e que deve ser muito bem avaliada com antecedência. Vamos analisar as vantagens e desvantagens do modelo de Squad em relação à organização tradicional de setores e departamentos.

Mais rápido, mais produtivo

A vantagem mais expressiva do modelo do Squad em relação ao modelo tradicional de divisão da empresa em setores é a agilidade na realização dos projetos. Isso porque as relações intersetoriais no modelo administrativo  tradicional costumam ser burocráticas e complexas, existindo conflitos entre horários, prazos, objetivos, entre outros problemas decorrentes da falta de comunicação.

Como toda a comunicação necessária para a execução de um projeto ocorre dentro do próprio Squad, entre poucas pessoas, tudo é muito mais rápido, menos reuniões são necessárias e menos pessoas são envolvidas na tomada de decisões.

Equipe engajada com o sucesso do projeto

Com toda a responsabilidade sobre um projeto depositada em um pequeno grupo de pessoas, o senso de coletividade criado entre os membros do Squad é forte e inevitável.

Geralmente, existe remuneração ou premiação com base no desempenho do projeto, o que aumenta ainda mais o engajamento e a dedicação dos profissionais ao time e à empresa.

Colaboração vai além das funções definidas para cada membro

Um dos efeitos mais interessantes do modelo de Squads é que, mesmo com as especialidades de cada membro, nada os impede de contribuir das mais variadas formas para a equipe e, conforme explicado no item anterior, os funcionários se sentem motivados a ir além da função principal dele no Squad.

Se um membro já finalizou o trabalho dele, e outro membro está com a agenda totalmente saturada: por que não ajudar? Afinal, o desempenho da equipe afeta a todos! No fim das contas, isso é bom:

  • Para o Squad, aproveitando ao máximo a capacidade e o tempo dos membros da equipe;
  • Para a empresa, que obtem mais eficiência, e;
  • Para o próprio funcionário, que tem a oportunidade de conhecer na prática e aprender mais sobre outras funções.

Mas não é pra qualquer um

É claro que nem tudo é um mar de rosas. A autonomia dos Squads, que é o fator de origem da agilidade e do desempenho proporcionados pelo modelo, também é um fator de risco.

Nem todo mundo está pronto para a liberdade e autonomia de ter uma equipe autogerenciável. Se não existir esse preparo, é muito provável que os Squads cometam erros na definição de prioridades e entreguem resultados desalinhados com o objetivo da empresa.

Vale a pena implantar o modelo de Squads na sua empresa?

Após ler as vantagens e desvantagens, é provável que você já tenha decidido se esse modelo se encaixa ou não com a sua empresa.

Como quase tudo no mundo corporativo, a resposta para essa pergunta é: depende. Depende do tamanho da sua equipe, da quantidade de projetos paralelos mantidos pela empresa e, principalmente, da aptidão dos funcionários a organizar o próprio trabalho.

Formado em Marketing. Redator do Grupo TecnoSpeed. Escreve artigos e conteúdos para TecnoSpeed DF-e, Certificados Digitais e WiFire.

Artigos relacionados

Nenhum artigo relacionado