Afinal, o que é a telemedicina? Nós explicamos

Telemedicina é um termo cada vez mais comum, principalmente em tempos de pandemia. Mas você sabe exatamente o que isso significa e como ela funciona? Veja em detalhes tudo sobre o assunto.


Você já ouviu falar em telemedicina? Essa prática existe no Brasil desde o final dos anos 90 e tem ficado cada vez mais popular. Poder atender pacientes sem ter contato físico e, mais do que isso, fazer laudos, emitir prescrições e atestados, já é uma realidade. 

Para que isso funcione de forma satisfatória para os profissionais e para os pacientes, algumas precauções precisam ser tomadas. Vamos te mostrar quem pode praticar a telemedicina, quais são as formas mais comuns e o que é preciso para realizar o atendimento da melhor maneira possível. Boa leitura!

O que é telemedicina?

Apesar do nome, a telemedicina não é somente o atendimento médico realizado pelo telefone. A telemedicina é qualquer prática médica que possa ser realizada a distância, seja consultas, acompanhamentos ou exames. 

Houve um aumento nas práticas de telemedicina nas últimas décadas graças aos avanços da tecnologia, mas no último ano, devido à pandemia, os atendimentos online cresceram ainda mais. Principalmente para as pessoas dos grupos de risco, como idosos, por exemplo, a telemedicina significou um grande avanço, já que não é preciso sair de casa e se expor para ter atendimento médico.

Para outras áreas da saúde, como a fisioterapia, o termo “telessaúde” é mais adequado. O avanço da internet e das telecomunicações possibilitou muitas mudanças positivas nesse cenário e a tendência é que tanto a telessaúde como a telemedicina continuem crescendo.

Como a telemedicina funciona?

Na prática, a telemedicina não é apenas o atendimento de pacientes pela internet ou telefone, ela pode ir muito além disso. Ela pode ser dividida em algumas áreas, as principais são assistência e educação. Explicamos melhor sobre elas abaixo:

  • Assistência (teleassistência): é a primeira que vem à cabeça quando pensamos no assunto. É o atendimento ao paciente usando as tecnologias, principalmente a internet.
  • Educação (teleducação): a teleducação é a prática de usar os meios de comunicação para propagar informações que sejam úteis à população, como comunicados sobre doenças, vacinas e medicamentos.

Outra área bastante explorada da telemedicina é a emissão de laudos, a prescrição de receitas e os atestados de forma remota. Tudo isso é legalizado e regulado pelos órgãos competentes, então não precisa ter receios quanto a isso.

Quem pode realizar a telemedicina?

Quem pode realizar a telemedicina, veja aqui.

Existe mais de um tipo de telemedicina, e todos as modalidades estão habilitadas para atender nesse formato. I Imagem: Pexel – Anna Shvets.

A norma que trata sobre a telemedicina foi publicada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em 2002, então o texto já é bem antigo e considerado obsoleto por alguns especialistas. De lá pra cá, muitas mudanças aconteceram e o documento não teve atualizações significativas.

De acordo com a norma, qualquer especialidade médica pode oferecer atendimento a distância. Este documento também cita algumas regras, como a garantia de sigilo de informações do paciente.

O Ministério da Saúde, por conta da pandemia, recentemente promulgou uma portaria que permite o atendimento em casos de emergência por telemedicina, algo que não constava no documento inicial. 

Além disso, para realizar a telemedicina é necessário ter um Certificado Digital, um documento que funciona como a assinatura no ambiente online. É ele quem vai garantir a autenticidade das consultas, dos laudos, das prescrições de medicamentos e dos atestados.

Como fazer telemedicina? 

Como dissemos, a telemedicina pode ser aplicada para fazer consultas aos pacientes, para conscientizar a população sobre algo e para emitir documentos, como laudos, atestados e receitas médicas. 

Se você é o médico que vai realizar o atendimento de forma remota, deve prestar atenção a alguns pontos para oferecer uma boa experiência aos seus pacientes e também para não comprometer a segurança.

A tecnologia veio para somar, então ela não pode atrapalhar. As práticas convencionais devem servir para turbinar o teleatendimento, não para limitar. Se a tecnologia mais atrapalha do que ajuda, pode ser preciso repensar a estratégia.

Parte dessa estratégia pode dizer respeito à estrutura. Você vai precisar de uma boa câmera – ou um celular com uma boa câmera, um ambiente iluminado, sem ruídos e tranquilo, tudo para garantir uma boa consulta.

Vimos também a importância do sigilo de informações dos pacientes. Assim como é feito em consultórios físicos, com atendimentos cara a cara, os médicos precisam se comprometer em manter a segurança das informações trocadas durante a teleconsulta, bem como os dados de exames.

Existem cursos que preparam médicos e outros profissionais da saúde para exercer a telemedicina ou a telessaúde. Se você for o paciente, poderá questionar sobre isso antes de agendar sua consulta. Além disso, procure também outras informações sobre o profissional, como formação acadêmica, prêmios, registros etc.

Emissão de receitas e atestados

Receitas, atestados e outros documentos devem ser legítimos a fim de serem aceitos em farmácias e empresas, e isso só é possível com um certificado digital.

A veracidade dos documentos pode ser questionada caso ele não seja assinado por meio de um certificado digital, você não vai querer colocar seu paciente nessa situação, não é mesmo?

Parceria Certificado Digital

Temos uma pergunta para você que é dono ou gestor de uma software house: você já tinha identificado esse nicho? De acordo com uma pesquisa feita pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) com o apoio de outras instituições, existem cerca de 450.000 médicos no Brasil. Um número bastante expressivo, não é mesmo?

O seu software precisa estar preparado para atender essa demanda, principalmente no cenário de distanciamento social que estamos vivendo.

Nós da TecnoSpeed utilizamos uma rede composta por mais de 1.500 software houses para alcançar a parceria que vai possibilitar aos seus clientes acesso ao Certificado Digital dentro do seu software. 

Prepare uma estratégia de marketing e vendas para atingir o público dos médicos e mostre todo o valor que existe por trás do certificado digital.

No caso desse nicho, isso é ainda mais fácil, já que o certificado digital é indispensável para os médicos que optam pela telemedicina.

Parceria Certificado Digital

A telemedicina pode trazer muitos benefícios, tanto para médicos e outros profissionais da saúde, quanto para os pacientes. Agora que já te explicamos tudo sobre a telemedicina, veja mais detalhes sobre a prescrição médica com certificado digital.

Summary
O que é telemedicina?
Article Name
O que é telemedicina?
Description
Apesar do nome, a telemedicina não é somente o atendimento médico realizado pelo telefone. A telemedicina é qualquer prática médica que possa ser realizada a distância, seja consultas, acompanhamentos ou exames.  Houve um aumento nas práticas de telemedicina nas últimas décadas graças aos avanços da tecnologia, mas no último ano, devido à pandemia, os atendimentos online cresceram ainda mais. Principalmente para as pessoas dos grupos de risco, como idosos, por exemplo, a telemedicina significou um grande avanço, já que não é preciso sair de casa e se expor para ter atendimento médico. Para outras áreas da saúde, como a fisioterapia, o termo “telessaúde” é mais adequado. O avanço da internet e das telecomunicações possibilitou muitas mudanças positivas nesse cenário e a tendência é que tanto a telessaúde como a telemedicina continuem crescendo.
Author
Publisher Name
TecnoSpeed
Publisher Logo
Formado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, com Especialização em Marketing. Atua na TecnoSpeed como Coordenador de Marketing.

Artigos relacionados