6 formas de agregar valor ao seu software

Todo desenvolvedor já se perguntou sobre como agregar valor ao software, não é? Por isso, separamos algumas dicas para ajuda-lo. Confira!


Muitos desenvolvedores têm buscado informações sobre como agregar valor ao software comercializado pela empresa. Com um mercado cada vez mais competitivo, a busca pela excelência na entrega deve estar presente no dia a dia de trabalho. 

E a boa notícia é que há muitas maneiras de fazer isso! Neste texto apresentamos várias dicas e você pode escolher a que melhor se adapta a realidade dos seus clientes. Confira! 

Por que agregar valor ao software?

O motivo principal para investir tempo e recursos em agregar valor ao software comercializado pela sua empresa é se destacar em relação ao produto oferecido pelos seus concorrentes. 

A longo prazo, o valor agregado impacta na comercialização do produto, aumentando as vendas. Nesse caso, recursos, ferramentas e serviços viabilizados pela contratação do software passam a ser entendidos como necessário. 

Outra vantagem é fidelizar os clientes que já fazem uso do software. Afinal, se vários recursos essenciais para problemas recorrentes são fornecidos pelo sistema contratado, para que buscar outras opções? 

Fornecer opções e possibilidades que não são essenciais para o cliente, mas são desejáveis, mostra que a desenvolvedora está antenada com o segmento e as necessidades do seu público-alvo. 

Como agregar valor ao software?

Confira, abaixo, a nossa seleção com seis formas de agregar valor ao software que podem trazer muitos benefícios para seus clientes e fidelizá-los! 

1- Usabilidade

A usabilidade é uma das melhores formas de agregar valor ao seu software. Afinal, se é fácil manuseá-lo e utilizá-lo no dia a dia, rapidamente ele se torna um recurso favorito ou até mesmo indispensável. 

Se a navegação é complexa, ela repele o usuário. Se for fluída, ele se sente mais à vontade para realizar as operações ali dentro e explorar recursos. Dessa forma, a plataforma ou sistema se torna um recurso de trabalho. 

O conceito de usabilidade diz respeito à facilidade em interagir e utilizar o produto. Para qual finalidade ele foi criado? É fácil encontrar os caminhos para executar as ações desejadas dentro dele?

Além de estudar os conceitos, é importante testar a usabilidade do seu software. Convide usuários e observe como eles se relacionam com a interface apresentada, como executam as funções. Tome nota de erros e falhas.

Realizar testes de usabilidade e corrigir problemas pode colocá-lo à frente no segmento. 

2 – Implemente feedbacks

A possibilidade de enviar feedback também é uma forma de agregar valor ao software. É um recurso aparentemente simples, mas que traz muitos ganhos para a relação entre cliente e empresa desenvolvedora. 

Disponibilizar um campo para que os próprios usuários reportem falhas ou enviem sugestões de melhorias é bastante vantajoso: 1) a sua empresa antecipa a correção e o cliente passa menos tempo insatisfeito; 2) é possível criar indicadores a partir de elogios e críticas; 3) a comunicação é mais fluida e a desenvolvedora é vista como parceira, não como fornecedora de um produto.

3 – Interface atrativa

Quando as ferramentas e possibilidades existentes dentro do software dialogam entre si, elas ficam mais atrativas, portanto, mais “amigas” do usuário (user-friendly)

O caminho para realizar operações dentro do software deve ser intuitivo. A facilidade de encontrar ícones, categorias e abas otimiza o tempo do cliente e simplifica atividades recorrentes. 

Se a interface não for amigável, o usuário que interage com ela acaba repelindo o uso, entendendo o software como algo complicado. 

Faça testes constantes para checar a interface. Assim você consegue identificar falhas rapidamente e garante um uso melhor.  

4 – Benefício real ao usuário

Entenda a realidade do seu cliente e ofereça vantagens reais, que descompliquem processos engessados. Busque entender quais são os principais pontos problemáticos da operação e mostre as soluções do seu software. 

Algumas perguntas simples que podem te ajudar a construir ou identificar quais são os benefícios reais da sua proposta: 

  • Ele torna uma tarefa morosa mais prática? 
  • O tempo investido para a atividade é consideravelmente otimizado?
  • O desempenho e a entrega é aperfeiçoado?

5 – Invista em segurança

Fraudes são muitos comuns e, quando acontecem, são extremamente danosas. Elas afetam o usuário final, a empresa que faz uso do software e a desenvolvedora. Os prejuízos podem ser incalculáveis , afetando diferentes setores, como o financeiro e a reputação da empresa.  

Um exemplo prático são os sistemas integrados de gestão que emitem documentos fiscais eletrônicos. As fraudes nesse setor – confira nosso post sobre o tema – podem gerar multas e até intimação pelo fisco. Ninguém quer ter esse tipo de problema, né?

Muitas vezes o valor agregado da segurança em produtos digitais só é percebido quando o pior acontece. Portanto, se a sua solução apresenta diferenciais em relação à segurança quando comparado aos concorrentes, valorize esse aspecto na comunicação.

6 – Automatizar processos

A automatização de processos consiste, basicamente, em melhorar o fluxo e o desempenho de atividades que eram feitas manualmente ou que exigiam muitas etapas. 

Nos softwares de gestão empresarial, por exemplo, a adição de recursos pode ser uma forma de fazer isso acontecer. 

A centralização de informações no mesmo ambiente virtual e a padronização – de relatórios, bases de dados, formatos de documentos, pesquisas e outros – faz com que todo o time fale a mesma língua. 

A vantagem é que seu cliente passa a ter mais atividades integradas em uma mesma plataforma. Nos casos em isso alcança os processos internos e a gestão de pessoas, o software pode se tornar ainda mais necessário para manter a operação ativa e organizada.

Veja alguns exemplos:

  • Feedbacks internos (gestão empresarial) 

A possibilidade de enviar feedback também é uma forma de agregar valor ao software. É um recurso aparentemente simples, mas que traz muitos ganhos para a comunicação interna. 

Profissionais de relações públicas, de RH e gestores de departamentos podem se beneficiar do recurso. O registro e o arquivamento no software facilitam a rotina das equipes envolvidas na proposição de melhorias, otimizando o tempo dedicado à atividade. 

A praticidade no acompanhamento de devolutivas impacta diretamente no desenvolvimento dos profissionais e, consequentemente, da própria empresa, que certamente verá o software como algo essencial para construção de novos processos e tomada de decisões. 

  • Recursos de gestão

Pesquisas Net Promoter Score, popularmente conhecidas como NPS, que medem a lealdade dos clientes, podem ser feitas dentro do software. A sistematização dentro da mesma plataforma permite que os dados sejam acessados por equipes diferentes. 

  • Demandas obrigatórias 

Há várias regras obrigatórias para cada segmento e você pode oferecer ferramentas ou recursos que auxiliem com essa demanda. Esse serviço é indispensável para o seu cliente. Então, por que não oferecê-lo integrado ao seu sistema?

Um exemplo prático é a emissão de documentos fiscais eletrônicos. Eles estão presentes em todos os setores, do varejo à indústria, em lojas virtuais de pequeno à grande porte, no ramo de transportes. 

O Nota Segura é uma plataforma criada pela TecnoSpeed. Ela oferece o serviço de armazenamento, consulta, download e distribuição de documentos fiscais eletrônicos para o seu software.

Você pode adquirir esse módulo e integrá-lo ao seu produto. Terceirizar um módulo com quem mais entende do assunto também é uma forma de agregar valor ao seu software.

Soluções TecnoSpeed

 

 

 

 

 

 

Formado em Comunicação em Multimeios. Analista de Marketing da TecnoSpeed, focado em produção de conteúdos para mídias digitais.