Quais documentos fiscais um software para indústrias deve emitir?

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um dos documentos mais emitidos dentro do território nacional. Está associada ao registro de transações comerciais entre as pessoas jurídicas e sua emissão é extremamente importante para manter as informações atualizadas junto ao Estado. 

Por ter formato digital e por ser transmitido pela internet, esse documento tem sido um facilitador entre os prestadores de serviço, compradores e órgãos públicos. A emissão rápida das notas, quando auxiliada por um software de gestão empresarial, têm contribuído para melhorar o desempenho nas indústrias e garantir a confiabilidade dos dados. 

Agora, será que a NF-e é o único documento que um sistema ERP industrial deve emitir? Descubra, neste post, quais são os outros módulos fiscais importantes que o software para indústrias precisa oferecer e entenda, também, por que o acréscimo desses documentos ajuda a garantir mais resultados para os clientes. Confira!

Quais documentos um sistema ERP industrial deve emitir?

As empresas de software que desenvolvem sistemas para indústrias precisam ser capazes de emitir NF-e. Esse documento eletrônico precisa ser emitido sempre que houver a movimentação de uma mercadoria na empresa. Porém, existem outros documentos importantes que precisam ser levados em consideração.

Além da NF-e, as indústrias podem precisar emitir outros dois documentos. São eles:

GNRE 

A GNRE, também conhecida como Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais, é um documento emitido para registrar as operações de vendas com destino a outros Estados. 

Está associado aos produtos sujeitos à substituição tributária e é um documento que precisa ser enviado pelas empresas que efetuam a venda de mercadorias para outros Estados. Ou as que realizam a prestação de serviço de transporte interestadual. 

Para emitir a GNRE, é necessário o preenchimento do documento com diversas informações. No campo do contribuinte emitente, por exemplo, é exigido o número da Inscrição Estadual, CNPJ/CPF, Razão Social, Endereço, UF, Município, CEP e telefone. 

Também deve ser informado à Receita (corresponde ao tributo que se deseja recolher), Produto, Documento de Origem, Período de Referência, Parcela, Convênio/Protocolo (não é um campo de preenchimento obrigatório), Data de Vencimento, Data de Pagamento, Valor Principal e Valor Total. 

Já no campo do contribuinte destinatário, deve-se acrescentar ainda a Inscrição Estadual, CNPJ/CPF, Razão Social, UF (mesma UF Favorecida selecionada) e Município. 

De acordo com o Portal GNRE, antes de realizar a emissão desse documento a empresa poderá optar por emitir:

  • GNRE Simples: Esta é a GNRE que gera uma guia para somente um documento de origem, quando a receita solicitar o preenchimento deste campo.
  • GNRE com Múltiplos Documentos de Origem: Esta é a GNRE Simples, acrescida da funcionalidade de adicionar múltiplos documentos de origem, desde que mantida a mesma UF destinatária, o mesmo Contribuinte Emitente, o mesmo Código de Receita e o mesmo Tipo de Documento de Origem.
  • GNRE com Múltiplas Receitas: Esta é a GNRE Simples, acrescida da funcionalidade de adicionar diversos códigos de receitas, desde que se mantenha a mesma UF destinatária e o mesmo Contribuinte Emitente. Nesta opção serão aceitos vários códigos de receita, inclusive podendo repetir o mesmo código de receita. Cada receita deverá ser combinada com um número de documento diferente.

OBS: Por se tratar de um documento que registra as operações de vendas interestaduais, cada UF pode acabar exigindo dados específicos para cada tipo de receita.

MDF-e 

O Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e) é um documento  desenvolvido para substituir a emissão da Capa de Lote Eletrônica (CL-e) e o Manifesto de Cargas (modelo 25). Também, para facilitar e otimizar ainda mais a fiscalização do transporte dentro dos postos fiscais interestaduais. 

Nesse documento são apresentadas as informações relacionadas ao veículo, destino da mercadoria, o peso bruto da carga e os dados do condutor. 

A emissão desse documento é importante para as empresas que realizam o próprio transporte de cargas. A sua ausência pode acarretar na aplicação de multas e penalidades e, em casos mais graves, na apreensão do veículo.

A transmissão da MDF-e é realizada digitalmente e, por conta disso, as operações envolvendo esse documento podem ser monitoradas em tempo real. Essa é uma forma de garantir a validade do documento. Ou seja, uma medida interessante para evitar qualquer tipo de complicação futura.

Sistema ERP Industrial: a emissão da GNRE e MDF-e também é importante

Com a emissão da MDF-e, a prestação de serviço de transporte fica muito mais fácil e segura. A indústria consegue agilizar os procedimentos e evitar qualquer tipo de problema com a fiscalização. O setor fiscal também sai beneficiado, uma vez que os profissionais responsáveis conseguem ter mais controle sobre todos os documentos. 

Já a GNRE é um facilitador para as operações de vendas e prestações de serviços com destino a outros Estados. Sendo assim, permite que as indústrias consigam agilizar as suas transações, além de aproveitarem melhor as oportunidades de mercado.

Se um sistema ERP industrial oferece apenas a emissão da NF-e, essa pode ser uma desvantagem já que atrasa o crescimento da empresa. Ao oferecer uma solução completa, que também disponibiliza a emissão de outros documentos importantes, a indústria poderá ficar mais tranquila e bem preparada para desempenhar suas funções.

O grande desafio para quem desenvolve um software para indústrias é levar até o seu cliente uma solução atualizada. E, como a legislação tributária no Brasil está sempre se modificando, essa responsabilidade pode acabar ficando custosa e difícil. Não só vai exigir profissionais especializados no desenvolvimento de sistemas, mas também requer o serviço de especialistas na lei . 

Por outro lado, existe a opção de o desenvolvedor contar com um parceiro que facilita esse processo como, por exemplo, a TecnoSpeed. Suas soluções são referência e contribuem com esses profissionais porque já são prontas para serem integradas a um software de gestão empresarial.

Então, se você quer garantir mais facilidade e economia no desenvolvimento do seu software, entre em contato com a TecnoSpeed para ajudar. Temos todas as soluções para ajudá-lo na programação do módulo emissor da NF-e, também, nos módulos relacionados à emissão da GNRE e MDF-e!

Formado em Comunicação em Multimeios. Analista de Marketing da TecnoSpeed, focado em produção de conteúdos para mídias digitais.

Artigos relacionados