Tempo de Leitura: 6 minutos

Saiba mais sobre teste de software e as vantagens que ele pode trazer para a sua aplicação. Clique para ler!


Por que uma software house investe em um processo de teste de software? Uma das razões é preservar a experiência do cliente. 

Afinal, quando um usuário executa uma ação em qualquer aplicativo e ele falha, sua satisfação será comprometida e até prejuízos financeiros podem ser gerados.

Do ponto de vista do desenvolvedor, investir em metodologia de teste de software e buscar ferramentas de teste de software para garantir a qualidade de uma solução nos vários estágios de desenvolvimento implica também em economia. 

Pois quanto mais cedo uma falha é detectada, menor será o custo da sua correção, não é mesmo?

Confira nesse post o que é o teste de software na prática, tipos e detalhes de porque são importantes para a sua software house.

O que é teste de software?

Teste de software é um controle de qualidade que pode envolver etapas desde a escolha das condições em que a aplicação vai ser colocada à prova até a simulação de uso real dela e o desenvolvimento de relatórios sobre os resultados obtidos. 

Na sua Software House o propósito é verificar se o produto corresponde às funcionalidades esperadas no desenvolvimento e às necessidades dos usuários.

Habitualmente o teste de software é uma das últimas etapas antes que seja disponibilizado ao mercado e deve ser feito por testadores de software, também conhecidos como homologadores, analistas e técnicos de testes. 

Eles vão entender o projeto, sinalizar quais testes devem ser executados, realizar essas ações e apontar eventuais problemas encontrados.

Para saber mais sobre teste de software na prática e outros assuntos relativos à tecnologia, assine nossa newsletter!

Tipos de testes de software

Os testes podem variar de acordo com o objetivo em mente, como aspectos internos ou externos da aplicação. 

No entanto, os testes de software na prática são realizados para garantir que o usuário do produto poderá ter segurança em utilizar o sistema mesmo em situações de grande estresse para o software.

No quadro a seguir você pode conferir os tipos principais tipos. Mais abaixo no texto traremos mais informações sobre cada um deles.

 

Testes de unidade Estuda cada unidade do sistema
Testes de integração Pesquisa unidades em conjunto
Testes de sistema Simula a experiência do usuário
Testes de aceitação Avalia pela primeira vez a opinião do usuário
Testes de regressão Examina funcionamento após atualizações no sistema
Testes de operação Experimenta a aplicação em condições de uso


Qual a importância dos testes de software?

Esse é um estudo importante em aplicações de diferentes portes. 

Ajuda que o seu time encontre pequenos erros que atrapalham a emissão de documentos fiscais e bugs que levem à perda de desenvolvimentos avançados.

Um exemplo de teste de software que faltou planejamento: a instabilidade no acesso ao site para compra de ingressos no final do campeonato Paulista entre São Paulo e Corinthians em 2019. 

Era a primeira vez, desde 2003, que torcedores são-paulinos veriam o time do torneio – o que pode ter ajudado a causar o grande fluxo de procura. 

O mesmo aconteceu na busca por ingressos para a final da Copa do Brasil no mesmo ano, um jogo entre Inter e Athletico-PR.

O que precisa ser testado

A norma ISO 9126, que trata da qualidade de produtos de software, designa 6 atributos que devem ser avaliados. E todos eles são subdivididos, com qualidades inerentes. 

A única característica que se repete sempre é a necessidade de conformidade da aplicação a legislações e padrões vigentes.

Funcionalidade

É importante avaliar se a aplicação faz, de fato, o que ela é pensada para executar. E isso deve ser avaliado tanto em relação ao que o usuário explicitamente precisa quanto ao que ele necessita, mesmo que não demonstre objetivamente.

Confiabilidade

O sistema consegue manter o padrão de desempenho ideal quando é utilizado dentro das funções previstas? É essa pergunta que deve ser respondida neste quesito do teste de software.

Usabilidade

A avaliação da usabilidade pesquisa se o usuário consegue entender e fazer uso da aplicação de um jeito simples.

Eficiência

A análise da eficiência do sistema engloba testes sobre o tempo de processamento ou resposta da aplicação.

Outros quesitos são os recursos da máquina que o produto consome e a atenção ao atendimento a regulamentações e normas de eficiência. 

Manutenibilidade

Nesse caso, é preciso pesquisar a facilidade com a qual o software pode passar por mudanças, se é simples identificar e corrigir problemas que apareçam após essas alterações e como ele se comporta em testes após ser atualizado.

Portabilidade

A capacidade do sistema de ser transferido para ambientes diferentes daquele para o qual ele foi planejado inicialmente deve ser colocada à prova. 

O mesmo vale para a quantidade de alterações que ele precisa para se adaptar a esses novos espaços e a facilidade em conviver com outras aplicações. 


Principais Técnicas Usadas nos Testes de Software

Muitas técnicas podem ser utilizadas para identificar falhas em aplicações. A escolha de cada metodologia de teste de software depende das falhas que estão sendo estudadas. Algumas principais delas são:

Caixa-Branca

A técnica da caixa-branca serve para testar códigos-fonte a fim de avaliar fluxo de dados, caminhos lógicos e ciclos, entre outros aspectos internos do software. 

É também chamado de teste estrutural ou orientado à lógica.

Caixa-Preta

A técnica funcional, como a caixa-preta também é conhecida, é mais usada para avaliar as funções externas que vão ser realizadas pelo sistema. 

É um estudo que mostra se, ao colocar determinados dados na aplicação, foram obtidos as respostas esperadas.

Caixa-Cinza

É a união das duas técnicas de teste de software descritas anteriormente. Daí o nome. 

Essa técnica vai avaliar as funções externas do sistema ao mesmo tempo em que testa a parte lógica, interna. 

Regressão

A técnica de regressão representa a realização de testes em cada nova versão de um software a fim de evitar que problemas já resolvidos voltem a ser um obstáculo. 

Testes não Funcionais

Um teste de software não funcional serve para avaliar a operação da aplicação em casos inesperados.

Um exemplo é o teste de recuperação para verificar se o software volta a responder como antes após passar por uma falha. 

 

Detalhamento dos Tipos de Testes de Software

Testes de Unidade

O teste de software de unidade vai investigar cada unidade ou pequenos trechos da aplicação, como partes do código. 

Com ele, é possível descobrir falhas mínimas, ainda que o software como um todo pareça funcionar corretamente.  

Testes de Integração

São eles que vão afirmar que as diversas unidades da aplicação funcionam em conjunto. 

Se uma parte da aplicação não consegue conversar com outra, os testes de integração vão revelar.

Testes de Sistema

São os testes realizados simulando as condições que os usuários finais vão vivenciar na prática. 

Testes de Aceitação

Essa é uma etapa em que a avaliação do usuário é colocada à prova. 

Por isso costuma ser feita com pequenos grupos que podem incluir o comprador ou outras pessoas. 

É um teste de software em que, por exemplo, pode ser constatado que um ícone é muito pequeno e atrapalha o uso da aplicação.

Testes de Regressão

Quando algo é mudado no sistema por conta de uma atualização, os mesmos testes devem ser realizados novamente.

Tudo para evitar que problemas já corrigidos voltem a surgir. 

E essas atividades devem ser adaptadas para as novidades implementadas.

Testes de Operação

São aqueles que certificam que o software pode funcionar por muito tempo sem apresentar falhas.

Fases do Desenvolvimento do Software

Alpha

A etapa de testes Alpha é aquela feita após o término do desenvolvimento do seus sistemas, mas antes da entrega aos clientes. 

Os membros do seu time que tiverem acesso são observados pelo desenvolvedor e estimulados a dar feedbacks sobre o produto.

Beta

Já no caso dos testes Beta, o desenvolvedor não tem controle sobre os usuários. E um número maior deles é convidado a participar. 

Com base nas informações que essas pessoas cederem, melhorias serão feitas para que os clientes possam obter todas as vantagens do uso da aplicação no cotidiano. 

Gama

É um teste de software feito quando os seus sistemas não tiveram acesso ideal as avaliações anteriormente descritas. 

Nesse caso, o software é lançado ao mercado com eventuais erros e os ajustes acontecerão durante o uso.


O Processo dos Testes (Ciclo de Vida)

Planejamento, Preparação, Especificação, Execução e Entrega, nesta ordem, compõem o ciclo de vida dos testes. 

Confira:

  • Planejamento: essa é a fase de desenvolvimento da estratégia do teste e do plano de teste.
  • Preparação: nesta etapa, vai ser assegurado que o ambiente para o testes é o ideal, para que tudo seja executado como planejado.
    Envolve a preparação de equipe e equipamentos, por exemplo.  
  • Especificação: é o momento de elaboração e revisão dos casos de teste e dos roteiros de teste.
  • Execução: é a fase do processo de teste de software em que as ações são executadas e há o registro dos resultados.
  • Entrega: consiste na finalização do processo e arquivamento da documentação obtida.  

Ferramentas para Teste de Software

O Selenium é tido como a ferramenta de automação de testes mais em evidência do mercado. 

Open source, é usada principalmente para aplicações web. 

Tem como um de seus atrativos o funcionamento em browsers como Firefox, Chrome e Internet Explorer, além de headless browsers. 

Também funciona nas plataformas Mac, Linux e Windows.

O Selenium WebDriver, que vem com ele, também é uma vantagem porque auxilia na criação de scripts de automação de testes mais avançados. 

Outra que conquistou destaque entre ferramentas de teste de software é o Robotium, um framework open source para o sistema Android. 

Ele pode ser usado com aplicações híbridas ou nativas e conta com APIs simples. 

Para quem procura uma ferramenta abrangente, o Telerik Test Studio é uma opção. 

De licença comercial, oferece teste funcional de UI, de carregamento, performance e mobile. 

Conta com testes que rodam em browser variados, grava e reproduz, além de ter compatibilidade com aplicativos de automação como Silverlight e Ruby. 


TDD – Test Driven Development, O que é?

O Desenvolvimento Guiado por Testes, que na sigla em inglês corresponde a TDD, é uma técnica baseada em repetições.

Sua proposta é que o teste de software seja escrito no início do projeto, antes mesmo do seu time começar o trabalho em cima das funcionalidades do sistema. 

Assim, é mais simples encontrar problemas no início do projeto, já que a aplicação é que deverá se adaptar ao que é esperado dela.


Vale a pena terceirizar os testes de software?

Montar um laboratório de testes pode ser custoso em termos de pessoal e maquinário, o que acaba por ser desinteressante caso não haja demanda à altura. 

Na terceirização da atividade de teste de software, o investimento é feito sob demanda.

Apenas nas oportunidades em que a contratante de fato necessita do serviço.

Há outras vantagens também, como:

  • A troca de informações entre contratantes e contratados acaba por enriquecer o conhecimento de ambas as partes sobre tendências, tecnologias e novidades do mercado;
  • O planejamento da contratada em todo o trabalho, por conta da experiência em diversos projetos, costuma ser mais preciso; 
  • Os profissionais homologadores, por não terem proximidade com a equipe de desenvolvimento do sistema, contam com maior tranquilidade para fazer análises independentes.

No entanto, é importante ponderar sobre a contratação da terceirizada. 

É necessário haver confiança no trabalho oferecido e um bom canal de comunicação já estabelecido ou a disposição para estreitar laços.

Afinal, o desenvolvimento do projeto depende do alinhamento entre as culturas de ambas as empresas envolvidas na busca por um software de qualidade.  

Assine a nossa Newsletter e acompanhe os nossos conteúdos para receber mais insights para a sua software house!


Conclusão

O teste de software na prática é essencial para que qualquer solução chegue ao usuários final atendendo a todos os requisitos mapeados e as expectativas do público alvo

Investir nessa prevenção é muito importante.

E não é à toa que metodologias de teste de software foram criadas assim como diferentes tipos de ferramentas de teste de software estão disponíveis no mercado.

Aproveite e avalie o seu processo de teste de software. 

Veja se de fato ele está sendo suficiente para evitar falhas, poupar seu time de suporte e manutenção e manter seu cliente satisfeito.

Localização

Tecnospeed ©  2021. Feito com ❤ pelo time Tecnospeed.