Tempo de Leitura: 4 minutos

Está na dúvida sobre levar ou não seu aplicativo para a nuvem? Confira porque utilizar aplicações na nuvem, e não perca mais tempo para fazer a transição.


Cloud Computing já é uma realidade no mundo da tecnologia. Softwares delegados já estão fazendo a integração com todo tipo de aplicação e a transição para a nuvem tem se tornado um objetivo das empresas. Mas é realmente necessário que minha empresa faça essa transição em seus aplicativos?

Rafael Araujo, gerente de serviços na Embarcadero Professionals, é o convidado da TecnoUpdate para falar sobre o tema e sobre a necessidade de migrar. Além disso, há diferentes alternativas para fazer essa transição. Confira o que foi dito na live.

Aprenda sobre o trabalho home office, participe do programa Software House de Sucesso

Análise SWOT de aplicações legadas – não ir para a nuvem é uma opção?

Para entender se sua empresa deve levar as aplicações para a nuvem, é possível fazer uma análise SWOT (ou FOFA, de Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças) de sua empresa. Ter um software legado não tem apenas lados negativos, e por isso mesmo eles ainda existem. Quem tem uma aplicação legada tem como força o domínio e consolidação no mercado.

Contudo, essas aplicações têm como fraqueza ser uma tecnologia antiga e de menor impacto comercial. Sua empresa perde muitas oportunidades dentro do seu nicho ao manter a tecnologia antiga com os sistemas legados.

Ainda que a aplicação com tecnologia nova não tenha todas as funcionalidades que a sua tem, o mercado também tem demandas por novidades. As pessoas querem tecnologias novas, e não se atualizar pode significar o seu fim. Rafael Araújo cita a seguinte frase:

“Não se pode fazer trabalhos de hoje com tecnologias de ontem para estar no negócio amanhã”.

Essa frase resume o que se espera da sua empresa. Ainda que sua tecnologia ainda seja funcional, quanto mais você demorar para se atualizar, maior as chances de perder o timing e de ter um concorrente tomando todo o seu mercado para si. Utilizar as tecnologias é o mínimo para se manter no mercado.

É preciso estar no presente com visão no futuro. Mude suas aplicações enquanto você pode, enquanto essa transição é uma escolha. Isso porque, se você for obrigado a mudar, pode ser tarde. Se o mercado, a concorrência ou a demanda já conseguiram pressionar o suficiente para você ser compelido a se atualizar, pode ser que você perca tudo o que consolidou porque as pessoas verão outras empresas como símbolo de inovação.

Permanecer ou não com DELPHI?

Outra pergunta que pode surgir é sobre permanecer ou não com o DELPHI. Esse código pode até ser antigo, mas ele não é obsoleto. Ademais, se sua empresa investiu dinheiro, tempo, e capacitou seus funcionários, abandonar o DELPHI pode não ser a melhor escolha. Ao deixar de lado todo o código que você escreveu por uma linguagem diferente é muito trabalhoso e desperdiça muitos recursos. Preservar esse investimento de anos (no produto e nas pessoas) é algo a se considerar. Por isso, permanecer com o DELPHI é uma opção. Com ele, também é possível fazer aplicações modernas, se atualizar e seguir se fortalecendo no mercado.

Cloud Computing – vantagens das aplicações na nuvem

Em termos de estrutura, é fundamental ter aplicações na nuvem. O Cloud Computing permite:

  • Disponibilidade: Você não precisa de todos os gastos com estrutura física com o cloud.
  • Escalabilidade: a nuvem permite escalabilidade no mercado. A quantidade de clientes que você consegue é muito maior, sem ter que aumentar a estrutura na mesma proporção.
  • Elasticidade: a nuvem permite pagar pelo uso do servidor. Comprar servidores para horários de pico pode ser extremamente oneroso. Por isso, essa elasticidade de demanda é melhor absorvida pelo pagamento do uso de servidores na nuvem.

Ao oferecer suas aplicações fora da nuvem, é necessário observar alguns detalhes:

  • Como está seu data center?
  • Cabeamento, parte elétrica
  • Crescimento horizontal x vertical

Apesar de nem sempre essas serem obrigações da empresa que está oferecendo as aplicações na nuvem, é preciso mitigar riscos. Isso porque, quando algo vai mal, é a sua aplicação que terá a imagem e qualidade questionada. A responsabilidade da empresa inclui também redundância, equipamentos, refrigeração, no-break e ter um profissional especializado. Tudo isso é muito oneroso. Por isso, a aplicação em nuvem é muito inovadora: reduz todos esses custos.

Decidi levar minhas aplicações para a nuvem. Por onde começar?

Para começar a levar sua aplicação para a nuvem, é preciso dividir sua rotina em partes, em tarefas. A partir daí, deve-se fazer uma classificação da rotina do seu sistema. 

Classificação da rotina do sistema

Depois de dividir sua rotina em partes, você vai classificar suas tarefas da seguinte forma:

  1. Começar pela rotina que tem esforço alto e retorno alto. Fazer o mais complexo primeiro. Assim, você terá entregas para seu cliente, mostrará as suas funcionalidades e terá o mais difícil feito.
  2. Então, fazer o retorno alto e baixo esforço. O seu cliente é o seu foco. Tudo o que tem retorno alto será prioridade na sua classificação. Assim, depois de fazer o que é difícil mas tem alto retorno, faça o que é fácil com alto retorno.
  3. Por fim, o de esforço baixo e retorno baixo. Esses são detalhes que farão a diferença ou simplesmente não custarão muito à sua empresa agregar.
  4. Atividades de baixo retorno e alto esforço não devem ser feitas. Se não dá retorno para seu cliente e é muito complexo fazer, não faz sentido manter essa atividade.

Seguindo essa ordem, a satisfação do cliente será maior e você conseguirá lidar mais facilmente com imprevistos.

Evolução ERP segundo a Gartner

Apesar de não serem a maioria das aplicações na nuvem, já estamos no ERP pós-moderno. Você não precisa fazer todas as funções e aplicações do que está oferecendo sozinho. Para soluções que já tenha alguém que consiga fazer melhor e por menos no mercado, é melhor fazer uma parceria e se integrar com sua solução. Focar naquilo que te diferencia no mercado e que te faz ser bom te levará muito mais longe. Além disso, você gastará recursos preciosos investindo em algo que já tem alguém muito bom no mercado, e que você não agregará tanto quanto se fechasse uma parceria. 

Resultados da transição para cloud

Podemos citar como resultados da transição para aplicações na nuvem:

  • Entregar valor para o cliente e para a software house
  • Poder mudar para modelo SaaS
  • Redução de custos operacionais
  • Aumento de valor agregado para a solução. Você vira o parceiro de tecnologia.
  • Maior percepção de valor na visão do cliente
  • Distribuição facilitada, pois a estrutura em nuvem fica mais fácil. O cliente apenas acessa em browser, recebendo as atualizações
  • Maior lucratividade

Como você deve migrar?

Com todos os benefícios citados, fica claro que se atualizar é benéfico. Por isso, pode surgir um último questionamento. Como migrar? Você pode fazer isso sozinho, mas vai gastar uma enorme quantidade de tempo e dinheiro. Aprender com quem já fez é a melhor opção. Busque treinamentos para seguir esse caminho de forma mais rápida e barata. Escolha o treinamento de acordo com o nível e soluções em que sua empresa está.

Se você quer manter-se atualizado sobre tudo o que é relevante para seu software, assine nossa newsletter para não perder nenhuma novidade.


Summary
Permanecer ou não com DELF?
Article Name
Permanecer ou não com DELF?
Description
Outra pergunta que pode surgir é sobre permanecer ou não com o DELPHI. Esse código pode até ser antigo, mas ele não é obsoleto. Ademais, se sua empresa investiu dinheiro, tempo, e capacitou seus funcionários, abandonar o DELPHI pode não ser a melhor escolha. Ao deixar de lado todo o código que você escreveu por uma linguagem diferente é muito trabalhoso e desperdiça muitos recursos. Preservar esse investimento de anos (no produto e nas pessoas) é algo a se considerar. Por isso, permanecer com o DELPHI é uma opção. Com ele, também é possível fazer aplicações modernas, se atualizar e seguir se fortalecendo no mercado.
Author
Publisher Name
TecnoSpeed
Publisher Logo

Localização

Tecnospeed ©  2021. Feito com ❤ pelo time Tecnospeed.