Tempo de Leitura: 4 minutos

O que é open finance, é seguro, devo ou não aderir? Continue com a gente neste artigo e descubra! 


Introdução

O Brasil tem investido cada vez mais na modernização de seu sistema bancário, incentivando instituições tradicionais e fintechs a, cada vez mais, investirem em inovação e em produtos e serviços que melhor atendam aos clientes. E o open finance é uma dessas facilidades. 

Com o intuito de dar continuidade ao Sistema Financeiro Aberto no Brasil, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou a regulamentação do Open Finance, que amplia o compartilhamento de dados iniciado pelo open banking.

Enquanto o open banking abarcava produtos financeiros tradicionais, o open finance ampliará esse compartilhamento de informações também para informações sobre outros serviços financeiros como câmbio, seguros, credenciamento, investimentos e previdência.

Essa ampliação, que trouxe um termo novo, trouxe muitas dúvidas para os clientes de bancos. Instituições como o Banco Cental (BACEN) e o CMN têm, agora, o desafio de explicar para os clientes de bancos e fintechs o que muda com a nova resolução, quais as vantagens e os riscos de aceitar esse compartilhamento de dados mais amplo e como proceder para tal.

Diferenciar esses dois conceitos gera algumas dúvidas e desafios, sobretudo em um momento em que tanto se fala em tratamento e proteção dos dados das pessoas. É importante entender se é seguro aderir a novidades como essa. Confira neste artigo  o que o open finance significa e como entender seus riscos.

Saiba tudo sobre Open finance

Instituições brasileiras, sobretudo lideradas pelo BACEN, têm buscado cada vez mais modernizar as transações financeiras no País, trazendo inovações revolucionárias, como foi o caso do Pix e do open banking. E as regulamentações e ações dessas instituições demonstram que elas não vão parar por aí: para atender melhor ao cliente, estão surgindo mais opções para fomentar a inovação e a competitividade nas instituições financeiras, como é o caso do open finance. 

O que é open finance, é seguro, devo ou não aderir? Continue com a gente neste artigo e descubra tudo sobre esta novidade! 

open finance
Saiba mais sobre o open finance. Foto de Olya Kobruseva no Pexels

O que é?

O open finance é uma evolução do open banking que permite que mais dados sejam compartilhados entre as instituições financeiras autorizadas. 

A partir dessa inovação, além dos dados que já podiam ser compartilhados, as instituições poderão compartilhar também serviços de investimentos, câmbio, previdência, etc. E, em respeito ao cliente e à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), essas informações só podem ser compartilhadas quando solicitado e autorizado pelo cliente, que indicará qual será a instituição que compartilha e qual recebe os seus dados. 

Por esse motivo, é muito importante entender se esse compartilhamento é interessante para você, pois apenas após essa reflexão você poderá escolher por fazer parte ou não do open finance.

Além disso, também se verificou uma necessidade de maior monitoramento das instituições para garantir que as operações referentes ao compartilhamento de dados estão sendo feitas de acordo com o estabelecido em regulamentação própria, além de obedecer às regras de coleta, tratamento e armazenamento de dados estabelecidos na LGPD.

Como se deu a implementação?

A implementação dessa nova solução em compartilhamento de dados entre instituições financeiras se deu a partir de um projeto em conjunto entre o CMN e o BACEN, na resolução conjunta número 4. Amparada pela resolução conjunto número 4 e pela LGPD, a iniciativa do open finance está sendo implementada nas instituições financeiras.

Como vai funcionar?

O funcionamento se dará da seguinte maneira: você seleciona a instituição financeira de destino com a qual você queira compartilhar os seus dados. Nela, você deve encontrar opção de open banking ou de open finance (que serão descritas pela própria instituição). 

Depois disso, basta solicitar que os dados sejam compartilhados e indicar qual será a instituição de origem. Nesse momento, você será direcionado para, na instituição de origem, confirmar o compartilhamento dos dados. 

Após a confirmação do compartilhamento, você deverá aguardar o contato da instituição. Esse processo só pode ser feito por meio de canais digitais em instituições que sejam autorizadas a funcionar pelo Banco Central. 

O processo online monitorado garante a segurança de seus dados para que você possa usufruir dos benefícios do open finance sem ter problemas com o tratamento de seus dados: tudo só pode ser feito quando autorizado por você.

Vantagens

Para quem tem um negócio, o open finance pode ser um grande diferencial nos resultados financeiros da empresa.

Quando você adere ao compartilhamento de dados entre instituições, você dá mais informações para que esses bancos ou fintechs ofereçam serviços personalizados e com melhores condições de mercado. Com isso, você pode reduzir seus custos e ter ofertas de serviços mais convenientes ao que você precisa.

Regulamentado pelo CMN, o open finance é também uma boa forma de centralizar as informações, pois os dados de grupos operacionais e de fluxo de caixa, por exemplo, poderão ser agrupados de modo a simplificar a gestão de seu negócio, sobretudo no que tange às suas finanças.

Se você ainda tem receio de aderir ao open banking, você pode fazer uma análise de risco com base em uma técnica muito útil para o seu negócio.

É uma forma de, a partir de indicadores-chave, entender os riscos e identificar fraudes quando surgem novidades no mercado ou quando você não conhece bem o produto ou serviço.

Conheça os indicadores de riscos e fraudes

Indicadores de Riscos e Fraudes

 

Conclusão

O open finance é uma ampliação do open banking que deve encontrar alguma dificuldade para ser compreendida pelos empreendedores e pelas pessoas físicas. 

O compartilhamento mais amplo de dados entre instituições financeiras pode ser muito vantajoso para empreendedores e pessoas físicas como um todo, que terão acesso a ofertas mais personalizadas de produtos e serviços das instituições que ainda não os têm como clientes. 

Ainda assim, algumas pessoas podem ter dúvidas sobre os riscos de abrir suas informações de um banco para outro. Portanto, é importante saber como fazer a análise de riscos com base em indicadores eficientes para evitar fraudes ou novidades que não sejam tão interessantes para você. 

O artigo da TecnoSpeed pode te ajudar a entender esses riscos e a decidir se o open finance é para você.

 

Summary
Open finance: tudo o que você precisa saber!
Article Name
Open finance: tudo o que você precisa saber!
Description
O que é open finance, é seguro, devo ou não aderir? Continue com a gente neste artigo e descubra! 
Author
Publisher Name
TecnoSpeed
Publisher Logo
0 ComentáriosFechar comentários

Deixe um comentário

Localização

Tecnospeed ©  2022. Feito com ❤ pelo time Tecnospeed.