Tempo de Leitura: 3 minutos

Está pensando em como implementar a emissão de NFS-e com React? Neste post, a gente te explica todos os desafios e a forma mais eficiente de fazer isso!


A emissão de NFS-e, a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica, reserva muitos desafios para o desenvolvedor que tem como missão implementar esse processo em um software. E se o plano for emitir NFS-e com React, outras questões também acabam entrando nessa conta.

O React é, nas palavras de seus criadores, “uma biblioteca JavaScript declarativa, eficiente e flexível para a criação de interfaces de usuário (UI)”, isso significa que ele serve como uma ferramenta otimizadora para o processo de desenvolvimento.

Mas, assim como qualquer outra tecnologia ou ferramenta, nesse sentido, o React também tem suas demandas específicas. Vamos, então, entendê-las mais de perto no que diz respeito à emissão da NFS-e e bater um papo sobre como simplificar esse processo?

Banner blog - PlugNotas

Desafios para emitir NFS-e por React

O primeiro desafio para se emitir NFS-e por React é o mesmo que acompanha todas as outras linguagens, bibliotecas e frameworks: a padronização de layouts e regras de emissão desse documento fiscal.

A NFS-e não tem abrangência nacional e cada município tem seu modelo e regulamentações, o que representa um grande desafio para qualquer um que queira desenvolver um software que unifique e contemple essas diferenças.

Além disso, o React é, em essência, JavaScript. Então, a emissão com React também está sujeita aos desafios de segurança e compatibilidade que essa linguagem enfrenta. 

Infelizmente, no JS os dados dos usuários podem ser acessados sem suas permissões, o que faz a linguagem ser famosa entre fraudadores e hackers. 

E a outra questão é que o JavaScript não é compatível com todos os navegadores e sistemas, o que pode limitar o trabalho e implementação do software desenvolvido a partir dele e/ou do React.

O que vou precisar?

Diferente do processo de emissão da NF-e e da NFC-e, em que temos o MOC (Manual de Orientação do Contribuinte) com todos os detalhes e padrões de configuração, quando o assunto é a NFS-e é preciso verificar as regulamentações de cada estado e cidade que o seu software irá atender.

Tendo isso em vista, os passos do processo de emissão em si, que o seu desenvolvimento precisa contemplar, são os mesmos quatro:

Montagem do XML

O XML é o formato que todo documento fiscal eletrônico possui, então o seu módulo fiscal precisará ter uma base configurada para gerar arquivos com essa extensão. 

Como o React não possui um mecanismo para buscar e exibir dados, será necessário encontrar uma biblioteca de análise XML para isso e então trabalhar para que a conversão deles em um objeto JavaScript e vice-versa seja implementada.

Assinatura do arquivo

Toda nota eletrônica precisa ser validada através de um Certificado Digital, que funciona como uma assinatura digital e fornece a validade jurídica do documento. 

O processo de desenvolvimento do seu emissor de NFS-e também deve contemplar, portanto, a integração com essa tecnologia para que o usuário possa cumprir com essa etapa obrigatória do processo — ainda que existam exceções à regra.

Envio para a Prefeitura

Outro passo fundamental da emissão da NFS-e é o envio da nota para a Prefeitura para a autorização e validação — este passo e o anterior, da assinatura do arquivo XML, são as medidas de segurança da emissão digital.

Para tornar possível essa comunicação do seu sistema com o sistema da Prefeitura, você precisará cumprir os requisitos e processos específicos elencados por cada município e estado. Geralmente, isso envolve solicitar uma autorização e homologar o software.

Finalização e armazenamento

Por fim, ainda é preciso dar conta das etapas finais da emissão, que são: a confirmação de autorização da nota, a disponibilização para download e impressão, o armazenamento do arquivo XML da NFS-e e também o envio da nota e seu documento auxiliar ao destinatário, o tomador do serviço.

Agora, imagine tudo isso multiplicado por cada cidade que você pretende atender? O cenário é um processo trabalhoso, longo e desafiador, mesmo com todas as facilidades que o React pode te oferecer!

Sem contar que, as atualizações dentro do meio dos documentos fiscais eletrônicos são constantes, ainda mais se tratando de um formato que não é padronizado e adotado de forma integrada pelo país. Além disso, você também precisará ficar de olho e fazer updates no seu software para mantê-lo em conformidade com as regras e leis mais recentes.

NFS-e com React simplificado

A boa notícia é que desenvolver o seu módulo fiscal do zero não é a única alternativa para você levar a emissão de NFS-e e outros documentos para o seu software. Com o PlugNotas da TecnoSpeed, você cumpre essa missão com uma simples integração!

A nossa API inteligente agiliza todo o processo para você, desenvolvedor, e te livra de ter que desvendar e dar conta de todas as regras e diferenças que a NFS-e envolve. É só plugar e começar a emitir, tudo em um só lugar!

Nosso time de especialistas poderá oferecer todo o suporte necessário e também irá se encarregar de manter as configurações da aplicação sempre atualizadas e a par das orientações legais das nossas mais de 1600 cidades homologadas.

Além disso, o PlugNotas também facilita a vida do seu cliente, gerando mais praticidade e estabilidade que os sistemas geralmente disponibilizados pelas prefeituras e automatizando a emissão da geração do XML ao armazenamento e envio ao tomador.

E o melhor: o PlugNotas é compatível com diversas linguagens de programação, incluindo, é claro, o React. Conheça nossa API PlugNotas e torne seu software capaz de emitir NFS-e com React de um jeito muito mais simplificado!

Ir para o PlugNotas!

E se quiser saber mais, confira também como a API PlugNotas pode ser usada para implementar a emissão da NFS-e mobile, mais um passo que pode diferenciar a sua software house neste mercado.

0 ComentáriosFechar comentários

Deixe um comentário

Localização

Tecnospeed ©  2022. Feito com ❤ pelo time Tecnospeed.